22 de fevereiro de 2008

Transformers (2007)


Talvez dois aspectos sejam os pontos a ver em um filme de Michael Bay. Primeiro aspecto : O filme emociona? Segundo aspecto : Ele diverte?
Criticos que enfatizam Bay como uma pessoa alucinada , ou que colocam em suas respectivas criticas que esperavam o melhor filme do ano , não devem ser considerados. Bay tem e segue seu próprio estilo. E é graças a isso que Transformers é o filme mais divertido do ano ; ou , se o leitor prefere, o melhor filme sessão pipoca. Mesmo assim ele não é uma obra-prima. A maioria dos filmes do Michael Bay são entreternimentos e com falhas. Mas mesmo com essas falhas , Bay mostra que ainda consegue conquistar o publico , o que acima de tudo é o mais importante.

Durante anos os Autobots e os Decepticons, duas raças alienígenas robóticas, duelaram em Cybertron, seu planeta natal. Esta guerra fez com que o planeta fosse destruído, resultando que os robôs se espalhassem pelo universo. Megatron (Hugo Weaving), o líder dos Decepticons, vem à Terra em busca da Allspark, um cubo de Cybertron que possibilita que qualquer aparelho eletrônico seja transformado num robô com inteligência própria. Megatron encontra a Allspark, mas fica congelado no Ártico. Décadas depois outros Decepticons chegam à Terra, numa tentativa de encontrar a Allspark. Seu surgimento logo alerta os principais países, em especial os Estados Unidos, que tem uma base militar no Qatar atacada. Enquanto o Secretário de Defesa John Keller (Jon Voight) tenta descobrir o que está havendo, reunindo todas as forças e informações possíveis, o jovem Sam Witwicky (Shia LaBeouf) tem preocupações mais simples: conseguir uma boa nota no colégio, o que lhe garantirá seu 1º carro. Mas o que ele não esperava era que o veículo escolhido, um Camaro antigo, tinha vida própria.

O roteiro foi escrito por duas mãos com trabalhos irregulares : Roberto Orci e Alex Kurtzman – a mesma dupla que escreveu o desastroso "A Lenda de Zorro" , o fraco "Missão Impossivel 3" , mas que também escreveu o excelente filme "A Ilha". A história dos transformers é fielmente contada. Chegou-se a especular que Peter Cullen e Frank Welker, dubladores respectivamente de Optimus Prime e Megatron na série animada dos Transformers, retornariam aos personagens no filme. Infelizmente a voz de Welker estava bastante envelhecida, o que não combinaria com o personagem. Desta forma Hugo Weaving foi convidado para dublar Megatron, com Cullen sendo confirmado como Optimus Prime. E basta dizer que o controle de qualidade não se perdeu. Desde a montagem dos Autobots e os Deceptions que lembram os primeiros brinquedos fabricados , até a essencia da série animada , que foi retomada no filme. E a trilha comandada por Steve Jablonsky (O Massacre da Serra Elétrica – O Inicio) que se encaixa de forma surpreendetemente boa na trama.

O ritmo do filme é bem administrado por Bay. Desde o plano de sequencia no começo do filme , onde o primeiro Deception ataca uma base americana no deserto... Faz cortes bruscos em cenas engenhosas de ação , e quando tem de colocar a dose certa de romance na história , administra a câmera de maneira calma e natural. Aliás , tirando estas cenas "românticas" , o filme é um excelente espetáculo visual. O filme usa o recurso de não deixar o espectador respirar , ou até mesmo se ajeitar na poltrona. Os efeitos visuais são algo de cair o queixo. As cenas de transformação dos Autobots quando chegam a terra , são imagens duradouras na mente do espectador , e sem falar nas perseguições. Principalmente na cena em que o "carro de policia" segue Bumblebee numa das melhores perseguições de carro do ano.

Mesmo com seus efeitos especiais impecáveis ; Transformers não é apenas uma façanha técnica. O elenco é também muito bem utilizado. Temos a garota linda do colégio m que tem um namorado "valentão" , e não dá bola para o garoto apaixonado por ela. O mesmo clichê de sempre. Mas mesmo com os cliches da personagem , é interpretada de maneira natural por Megan Fox. Que usa o seu forte neste filme. A Esperteza. Sabendo que não é talentosa , a atriz usa sua beleza na tela , fazendo com que o espectador só preste atenção no corpo da bela atriz , e não por sua caracterização. Outra coisa que a atriz usa bem é o talento de Shia. Sabendo do talento do ator , ela tenta desviar toda atenção para ele nas cenas dramaticas.

Falando em Shia Lebeouf. Realmente eu não sei o que falar do bilhantismo deste ator. Não só transforma o filme , como age de maneira incrivelmente simples e natural , fazendo com que a história não pareça tão surreal. Shia com seu ar inreverente já tinha nos mostrado em paranóia que é um ator que veio para ficar. Aqui demonstra isso mais uma vez. E se eu tinha enquadrado a atriz Saoirse Ronan como uma nova Jodie Foster – que foi tomado como exagero por boa parte dos leitores do blog. No caso de Shia não posso deixar de dizer que ele veio para substituir Marlon Brando. Neste caso , acredito que boa parte dos leitores vão concordar.

O espectador pode ver ao longo da projeção , que Bay faz um tipo de uma "receita", que está funcionando em muito de seus filmes. É um tipo de uma "receita de um bolo". Ele segue os passos e o gosto continua o mesmo. Bom. Mas o mesmo. Michael Bay pode até não ser apreciado por muito criticos , mas certamente é um dos cineastas mais inteligentes dos ultimos anos. E isto , nenhum critico pode discordar!

(4 estrela em 5)

Direção: Michael Bay
Roteiro: Roberto Orci,Alex Kurtzman
Elenco: Jon Voight (Keller), John Turturro (Agente Simmons), Hugo Weaving (Megatron - voz), Shia LaBeouf (Spike Witwicky), Bernie Mac (Bobby Bolivia), Josh Duhamel (Capitão Lennox), Anthony Anderson (Glen), Tyrese Gibson (I) (Sargento Epps), Rachael Taylor (II) (Maggie), Peter Cullen (Optimus Prime - voz), Megan Fox (Mikaela)

8 comentários:

Diego Rodrigo disse...

Eu acho transformes um filme com muitas "viajens", não gosto muito desse genero, mas sem dúvida alguma esse é um filme para se ter como entreternimento

Isabela disse...

Eu até gosto desse gênero de filmes. Mas Transformers, não achei muito bom não. O melhor mesmo foi o protagonista com a camisa dos Strokes durante metade do filmes. rsrsrs

Zanfa disse...

Belo review do filme rapaz.

Acredita que eu ainda não assisti Transformers. =x

Gecko disse...

Gosto muito de filmes
e seu blog está de parabéns
Um abraço!

www.arenageek.wordpress.com

Mayna disse...

Gostei do filme, mas não o considero o melhor do ano!

http://maynabuco.blogspot.com

Edu D'ant disse...

Vlw cara! que bom que vc gostou do meu blog!!!
adorei seu espaço tb, muito bom...
vc vai ser sempre bem vindo em meu Blog!

e sobre o Transformers, eu via o desenho na infancia, e naum tem como naum gostar de um filme que te lembra coisas boas, e adorei a sutileza das piadas no filme...

vlw??

abraço!!!

*********************************
http://www.novosfilmesnatela.blogspot.com/

Diom disse...

Não é o tipo de filme a que eu vá assistir. Na verdade, nenhum que você comentou aqui me chama a atenção: muito lixo hollywoodiano. Cinema mesmo é feito na Europa, bem longe da badalação e das premiações do Oscar.

Diego Moretto disse...

Bom, desculpe mas discordo de ti. Trasnformers me decepcionou demais. Lembro que bay, antes do filme ser lançado, disse que enfantizaria o lado pessoal dos personagens, não fazendo assim um filme pipoca, como todos ja sabiam q iria vir. Infelizmente não cumpriu a promessa e trouxe um longa com um história corrida, com desfalques da original e um jogo sujo de más atuações. As piadinhas deploráveis e a tentativa de incorporar um senso de humor no filme foram no minimo desnecessárias. O q bato palmas e o conjunto som/imagem que realmente arrepiam qualquer um e merece sim o oscar deste ano.
Bom, dou 2 estrelas em 5, heheheehhee. abraço brow e ótima crítica!